SOBRE ALFENAS

HISTORIA DA CIDADE DE ALFENAS 

Fundação: 15/10/1869

Emancipação Política: 07/10/1860 -

 

Lei Provincial que levou à categoria de cidade.

Decreto: Lei Provincial nº 1090;

 

 

As fartas pastagens, com clima ameno e abundância de água, atraíram os primeiros ocupantes para esta região, parcialmente desocupadas pelos indígenas, primeiros ocupantes destes campos e montanhas e que morreram ou tiveram que fugir para não serem vítimas da colonização branca.

 

As fartas terras atraíram para a região os primeiros colonizadores brancos, que, satisfeitos com a possibilidade de ocupar e viverem em uma região privilegiada trouxeram ao longo do tempo uma leva de escravos negros, vindos, a contra gosto, mover a economia local.

 

Em 1.805, Francisco Siqueira Campos e sua esposa, Floriana Ferreira de Araújo, doaram terras para a construção de uma capela, consagrada à São José e Nossa Senhora das Dores, nos domínios da Fazenda da Pedra Branca.

Alferes Domingos Vieira e Silva foi o principal responsável pela construção do templo. Com a ajuda de amigos, traçou os arruamentos, localizando as praças e iniciando diversas edificações.

Em 1.832, por Resolução do Imperador D. Pedro II, foi criada a Paróquia de São José dos Alfenas, que passaria em 1.839, a Freguesia de Alfenas e, posteriormente, São José e Dores de Alfenas.

Com a criação da Vila, desmembrada do Município de Caldas em 1.860, passou a denominar-se Vila Formosa, sendo elevada à categoria de cidade em 1.869, como Vila Formosa de Alfenas. A partir de 1.871, chamou-se Alfenas, por força da legislação que proíbe a duplicidade de topônimos.

Esta designação originou-se da expressão "vamos nos Alfenas", usada pelos habitantes da região quando se dirigiam ao povoado onde moravam os Martins Alfenas, pioneiros residentes do futuro Município.

 

 

 

Domingos Vieira e Silva

 

 

...Entre 1800 e 1803 Domingos Vieira e Silva convocou seus amigos e vizinhos Francisco de Siqueira Ramos, fazendeiro em Cabo Verde, Capitão Custódio José Dias, proprietário da Fazenda da Cachoeira, e Padre Venâncio José de Siqueira, vigário em Cabo Verde, combinando com eles fundar uma povoação na zona em que morava...

...Eis que em 1805, dois anos após a fundação da Capela de Nossa Senhora das Dores e São José da Pedra Branca, Domingos Vieira e Silva vai à Vila da Campanha da Princesa da Beira (eleva à vila por alvará de 20 de outubro de 1798) levando uma procuração de Francisco de Siqueira Ramos e sua mulher Floriana Ferreira Araújo que, a pedido do Alferes Domingos Vieira e Silva doaram (já fundada a capela) uma parte das terras que possuíam nas margens nascentes do Ribeirão da Pedra Branca, na Fazenda da Boa Vista e que confrontavam com os terrenos habitados pelos Martins Alfenas...

...Em discurso pronunciado em 14 de junho de 1932, Alexandre da Silveira Mariano, - um dos estudiosos da História de Alfenas como também Romeu Vieira e o mestre Nelson Ferreira Lopes – quando se comemorava o centenário da elevação da freguesia à Paróquia, com denominação de “São josé dos Alphenas” por decreto imperial de 14 de julho de 1832, dizia que “a origem do nome Alfenas era devido ao arbusto da família das oleínas” – abundante no lugar onde residiam os Martins – acrescentando que “nos áureos tempos já distinguira o jurisconsulto romano Alphenos, sendo o referido arbusto de origem árabe e dos mais belos”.

Resumo de um livro que cita o Alferes Domingos Vieira e Silva.

 

 

Prefeitos

de 1896 a 1911 - Gaspar Ferreira Lopes
de 1912 a 1914 - Cel. José Bento Xavier de Toledo
de 1915 a 1918 - José Maria de Moura Leite
de 1919 a 1922 - Nicolau do Prado Coutinho
de 1923 a 1926 - Gabriel de Moura Leite
de 1926 a 1930 - Major Bento G. Ribeiro da Luz
de 1930 a 1936 - Prof. Ismael Brasil Corrêa
de 1937 a 1939 - Sebastião da Silveira Barroso
de 1939 a 1943 - Salomão Barroso
de 1944 a 1946 - Américo Totti
de 1946 a 1947 - Romeu Vieira
do mês 01 a 04/1947 - Samuel Vilhena Valadão
do mês 04 a 11/1947 - José Martins de Siqueira
de 1947 a 1951 - Fausto Monteiro
de 1951 a 1954 - Pedro Martins de Siqueira
de 1955 a 1959 - João J. de Magalhães
de 1959 a 1962 - Antonio Silveira
em 1962 - Francisco dos Reis Silva
de 1963 a 1967 - Samuel Vilhena Valadão
de 1967 a 1970 - Hesse Luiz Pereira
de 1971 a 1973 - Aristides Vieira de Souza
de 1973 a 1976 - Hesse Luiz Pereira
de 1977 a 1982 - José Wurtemberg Manso
de 1983 a 1988 - Hesse Luiz Pereira
de 1989 a 1991 - José Wurtemberg Manso
de 1991 a 1992 - Dagoberto Engel
de 1993 a 1996 - Antônio Munhoz Leite
de 1997 a 2000 -  Hesse Luiz Pereira
de 2001 a 2004 -  José Wurtemberg Manso

de 2004 a 2004 – José Batista Neto

de 2005 a 2008 -  Pompilio de Lourdes Canavez

de 2008 a 2010 - Pompilio de Lourdes Canavez
de 2010 a 2012 - Luiz Antônio da Silva
de 2013 a 2016 - Maurilio Peloso

de 2016 (atual) - Luiz Antônio da Silva